A magia do toque nos bebés e nas crianças

  • 30 Outubro, 2016

Através de uma prática tão simples quanto o toque, a pele recebe as mais importantes informações acerca do ambiente que nos rodeia.

O toque feito com amor é uma mensagem positiva para qualquer corpo que o receba: estudos recentes mostram que o toque tem efeitos terapêuticos porque desencadeia estímulos nervosos de tipo parassimpáticos, aumenta o fluxo de circulação sanguínea (aumentando consequentemente a nutrição celular, a oxigenação dos tecidos e o retorno venoso), regula a pressão arterial, aumenta as defesas imunitárias (plaquetas, hemoglobina, glóbulos vermelhos e linfócitos), regulariza a actividade hormonal, metabólica e neurológica do organismo, melhora a respiração e a digestão, regulariza o sono e o apetite, previne as cólicas e diminui as dores.

O Universo físico consiste num ambiente de energia que nos envolve e que nos permeia: podemos chamá-lo “prana”, “chi”, “quantum”, ou algo que seja mais adequado às nossas crenças, mas o que é importante perceber são as vantagens de aprendermos a usar essa energia fora e dentro de nós, a fim de nos mantermos mais saudáveis tanto física como mentalmente. Aprender a tocar e a usar este toque em quem mais gostamos, especialmente nos nossos pequenos, é uma destas formas!

O toque é algo de tão simples e natural, mas tão extraordinário pelos seus efeitos, que até nos esquecemos que temos todas as potencialidades do Universo concentradas mesmo aqui: nas nossas mãos!!

A nível simbólico, energético, emotivo e fisiológico a massagem – entendida como um leque de toques diversificados e orientados, dados com uma intensão positiva, calma e respeitosa – feita aos bebés e às crianças representa um ritual de carinho e afecto cheio de sensações positivas tanto para quem a pratica quanto para quem a recebe.

Através do toque é estimulada uma capacidade fundamental do ser humano, importantíssima ao longo de todas as etapas da nossa vida: a nossa inteligência emocional.

A ciência demonstra cada vez mais como a qualidade do toque na vida infantil repetido com constância, gera tendências positivas durante todo o crescimento emocional e neurofisiológico da criança, a qual terá mais propensão para se tornar um adulto mais estável e com melhores capacidades na vida em sociedade.

Especialmente nos bebés, a sensibilidade da pele é uma das funções mais importantes e fundamentais e que mais cedo se desenvolvem, estando estreitamente conexa à formação do sistema nervoso central. A estimulação da pele nos primeiros meses de vida é, de facto, essencial para um desenvolvimento orgânico e psicológico adequado.

Os extraordinários efeitos positivos da massagem sobre o sistema neurológico têm a ver com o facto de constituir uma fonte de estimulação que, naturalmente, incrementa a quantidade de produção de mielina. A mielina é uma substância gordurosa que envolve cada nervo. É responsável pela protecção dos mesmos e garante uma correcta e rápida transmissão das informações (impulsos eléctricos) entre o cérebro e o resto do corpo. Consequentemente, ter mais mielina significa, por um lado, ter uma melhor actividade e reactividade do organismo perante aos estímulos externos, e, por outro, uma melhor actividade neuronal.

A pele é de fato, um meio importantíssimo de descoberta e de conhecimento do mundo que nos rodeia. Um toque ou uma simples massagem, se instituídos como rituais e repetidos com alguma constância, oferecem aos mais pequenos um modelo de referência comportamental, emotivo, corporal e, enfim, de comunicação.

Sentir o próprio corpo é uma das temáticas mais discutidas ultimamente nos congressos científicos a nível mundial, e prende o nome de “propriocepção”, (ou “interocepção”), que por sua vez está extremamente ligada ao autodesenvolvimento e a um maior nível de consciência pessoal.

É fácil ver então quantos benefícios podem existir através de um gesto tão simples, carinhoso e natural como é o toque amoravelmente oferecido a quem mais tem a capacidade de aprender através dos sentidos: as nossas crianças!

A estimulação táctil nutre, cria comunicação, cria reciprocidade, cria curiosidade, cria aprendizagem, cria conforto e segurança. Desenvolve uma comunicação íntima e próxima, favorecendo assim uma sensação de bem-estar. É a partir daqui que se desencadeia a aprendizagem para receber e dar amor, para amar e ser amado.

A massagem infantil proporciona uma óptima combinação de intimidade, brincadeira e cuidado, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a comunicação não-verbal, fundamental para uma criança, pois ela sabe ler e interpretar correctamente as mensagens do corpo dos pais também quando contradizem as suas palavras.

Aos pais que decidem integrar a massagem na sua rotina diária, beneficiarão de uma sensação de competência maior no que toca ao papel de educadores e cuidadores de um ser dependente deles, e, ao mesmo tempo, contribuirá a afastar a ansiedade e os receios que o papel de mãe ou pai, pode, por vezes, provocar. Às crianças que receberão a massagem com alguma constância sentir-se-ão amados, protegidos, cuidados e respeitados: sensações indispensáveis para que possam crescer felizes e saudáveis tanto fisicamente quanto emotivamente.

Por: Sara Di Chiazza