Medicina Holistica

“É mais importante a pessoa que tem a doença, do que a doença que a pessoa tem.” Hipócrates

O que é?

A palavra medicina deriva do latim medicina, que significa “arte de curar”. Na sua definição mais estrita a medicina tem como objetivo a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças.

Contudo, se olharmos para a definição de saúde da OMS: “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”, leva-nos a concluir que focar o uso da medicina na doença é extremamente redutor das suas possibilidades.

Por conseguinte, uma Medicina que se centre em promover a Saúde à luz desta definição, deve conter objectivos mais globais que permitam aos pacientes atingir esse estado completo de bem-estar em todas as dimensões do ser: físico, mental e espiritual.

O termo Holístico tem origem na palavra grega holos, que significa “todo”. O paradigma holístico não é uma ciência e nem uma filosofia. Não é uma religião nem uma disciplina esotérica. É uma visão do mundo que procura repor a unicidade do ser humano, unicidade essa que se viu desagregada pelas teorias mecanicistas, pela evolução tecnológica e por um racionalismo fundamentalista.

Um dos aspectos mais importantes da abordagem holística é que, ela é uma forma de encarar a realidade onde em cada parte está representado o Todo e que este é mais importante que a soma das suas partes. Este conceito quando aplicado à Medicina revoluciona a forma de encarar a saúde, a doença e o processo de cura.

Em Medicina Holística o Terapeuta dedica a sua atenção à pessoa como um todo, faz uma abordagem clínica exaustiva de cada paciente, realiza um diagnóstico global e define uma estratégia de tratamento adequada para atingir os objectivos do paciente.

A Medicina Holística é uma prática global, em que a única especialidade é o conhecimento do funcionamento do todo e da interacção entre as partes, sendo por isso uma Medicina especializada no tratamento do paciente e não da doença que ele possa ter. Tal como disse Hipócrates, o pai da Medicina: “É mais importante a pessoa que tem a doença, do que a doença que a pessoa tem”.

Por exemplo, perante um paciente com vários problemas clínicos (por exemplo cardíacos, pulmonares, renais, cerebrais e metabólicos), mais do que o somatório entre cardiologista, pneumologista, nefrologista, neurologista e endocrinologista, em Medicina Holística o Terapeuta compreende todos esses problemas e a sua inter-relação, estando apto a definir prioridades e de, em conjunto com o paciente, definir o plano de actuação mais adequado e mais eficaz.

Será a Medicina uma Arte?

Se dermos uma guitarra a dois músicos diferentes para comporem uma música da sua autoria, isso significa que os dois vão compor uma música exatamente igual?

Não. Cada um, com o conhecimento e talento que lhes seja intrínseco, irá compor uma música única, mesmo usando as mesmas notas musicais e o mesmo instrumento. Isso é ARTE.

Se a Medicina fosse algo diferente de uma arte, para uma pessoa que tenha certos sintomas teríamos o mesmo diagnóstico e tratamento independentemente do profissional de saúde. Ora sabemos que não é isso que acontece, então Medicina de uma forma ampla só pode ser uma arte.

Na prática o que se verifica é que perante as mesmas condições e o mesmo cenário, cada terapeuta irá aplicar o seu conhecimento e o seu talento para trazer a cura ao paciente, e irá fazê-lo de forma única e distinta, tal como cada músico compõe músicas diferentes usando as mesmas notas musicais.

Muito raramente existem artistas “natos” que com pouco conhecimento e pouco trabalho conseguem desempenhos geniais.

O que acontece na maioria dos casos é que existe um gosto por algo e depois com muito empenho e trabalho com o decorrer do tempo surgem grandes génios.

Como por exemplo, os Beatles, que tinham muito pouco conhecimento de teoria musical e acabaram por se revelar os maiores génios musicais do mundo. Atingiram esse nível de excelência não por serem privilegiados e terem nascido génios, mas porque gostavam de algo e trabalharam arduamente tocando horas e horas a fio, a troco de muito pouco, apenas por amor à música. O trabalho árduo e a prática continua deram origem à maior lenda da música mundial.

“Génio é 1% de inspiração e 99% de transpiração”, disse Thomas Edison.

E é verdade. Para aprender uma arte temos de estar dispostos a transpirar. Na medicina não é diferente.

Na Tesed, orgulhamo-nos de apresentar um Curso de Medicina Holística onde é ensinada a arte de curar ao mais alto nível.

Somos rigorosos e exigentes porque sabemos o que é necessário para atingir a excelência naquela que consideramos ser a 1ª ARTE. Por isso não esperem encontrar nos nossos cursos facilidades e compromissos breves. Se por outro lado, o vosso sonho é marcar a diferença e tornarem-se profissionais da arte da cura bem-sucedidos e estão disponíveis a dedicarem-se a essa tarefa com empenho e entrega, então estão no sítio certo.

Sejam Bem Vindos e da nossa parte podem contar com nada mais nada menos do que total empenho e entrega a ensinar-vos tudo sobre Medicina Holística.