Amar e aceitar quem Sou

  • 11 Janeiro, 2016

– Depois da última conversa andei um pouco perdido. Então, eu sou um sapo?

– Não, claro que não. Apenas tens o poder de decidir seres um. Tal como tens o poder de seres o que quiseres ser.

– Voltamos ao mesmo. Eu não consigo fazer isso.

– Sabes, a indecisão e a não decisão inconsciente são aquilo que te bloqueia.

– Mas eu não estou indeciso. Apenas não sei qual o caminho a seguir!

– É isso mesmo! A isso chama-se indecisão.

– Então tenho de decidir?

– Sim. Decidir é o primeiro passo.

– Mas e se me engano?

– Não tens andado todo este tempo enganado?

– Bem…

– E nem é por decidires. É por não decidires. É por te sentires confortável ou por medo do passo seguinte. Sabes que podes ser um príncipe, se assim o decidires.

– Mas eu já decidi. Eu quero ser um príncipe. Quero deixar de vez este andar entorpecido, este saltitar desajeitado e este coaxar pelo qual me expresso. Mas não sei como o fazer.

– Bom, se assim é, quero que saibas que o processo é um caminho e não vai acontecer num estalar de dedos. Mas também quero que saibas que pode ser bem rápido se o permitires.

– Mestre, estás a deixar-me ansioso.

– Aceitares e agradeceres tudo aquilo que te tem acontecido é o primeiro passo. E repara, quando digo tudo, é mesmo TUDO. Quando conseguires fazer isso, sentindo de facto isso a acontecer bem dentro de ti, estarás então pronto para o próximo passo.

– Sim e qual é?

– Agora deves amar-te e aceitar-te tal como és.

– Mestre, essa vai ser difícil.

– Pois é, mas é essencial. Sem isso os passos seguintes não vão fazer sentido. Depois de passares este nível começam as etapas mais difíceis.

– Ainda mais difícil? Este já me parece suficientemente complicado.

– Eu não te disse que ia ser fácil, pois não? Se fosse fácil já terias lá chegado. Mas lembra-te, permitires facilita, pode mesmo tornar-se muito interessante e cheio de descobertas.

Por: Paulo Pais in “Conversas com o Mestre”