O corte dos legumes

  • 24 Outubro, 2019

Os legumes devem ser os reis da nossa alimentação, não só em quantidade como também em variedade. É muito comum na alimentação moderna a quase exclusão dos legumes do nosso prato e por outro lado a quase exclusividade de apenas alguns legumes, de tal modo que para muitas pessoas comer legumes é igual a comer brócolos e cenouras. E como? Cozidos, claro!

Ora a combinação de pouca variedade, com uma forma de os cozinhar que os tornam pouco atractivos, fez com que tenhamos condenado ao ostracismo os alimentos que deveriam ser a principal fonte de nutrientes nas nossas refeições.

Mas antes de falarmos de formas de cozinhar, é muito mais importante falarmos sobre o corte dos legumes.

Sim, a forma de cortar os legumes é de vital importância para o sabor que os ditos vão ter quando cozinhados. Por exemplo, na minha prática de acompanhar pessoas em mudanças alimentares, sei que quem não gosta de cenouras, se as come cortadas de uma determinada forma passa a gostar, porque sim, é mesmo verdade, a forma como cortamos os legumes influencia a qualidade nutritiva e o sabor dos mesmos! Não precisam de acreditar em mim, experimentem e digam-me o resultado da vossa experiência.

Antes de qualquer outra coisa, recomendo vivamente como utensílios de uma cozinha saudável uma boa tábua de corte e uma boa faca de corte, a que eu chamo vulgarmente de “faca jeitosa” que permita um corte rápido e eficiente dos legumes.

Existem muitas marcas no mercado, a marca IVO nunca desilude e além disso são nacionais e é, por isso, ainda uma melhor escolha.

Aquilo que devemos ter em consideração quando cortamos os legumes é a direcção em que crescem, pois isso define os seus veios de forma diferente consoante cresçam mais no sentido longitudinal ou não.

Nos legumes com forma longitudinal deve aplicar-se sempre um corte na diagonal.

 26022019-IMG_5745  26022019-IMG_574726022019-IMG_5748 26022019-IMG_5749

Caso queiramos fazer um corte mais fino, a que os japoneses chamam de Kimpira, é um corte óptimo pra saltear, após este corte longitudinal fazemos assim:

26022019-IMG_5753 26022019-IMG_5754

E caso queiramos ainda reduzir mais este corte podemos fazer deste modo:

26022019-IMG_5756 26022019-IMG_5758

E assim temos variedade e sabor:

26022019-IMG_5760

Já os legumes de formato mais arredondado podem seguir esta forma:

26022019-IMG_5764 26022019-IMG_5767 26022019-IMG_5769 26022019-IMG_5771

A partir das meias luas podemos ainda reduzir mais:

26022019-IMG_5772 26022019-IMG_5774 26022019-IMG_5776

26022019-IMG_5777

Outro legume muito interessante que acompanha o nosso dia-a-dia e que poucos sabem que é mais do que uma “flor”, pode e deve ser consumido por inteiro podendo ser cortado assim:

26022019-IMG_5794

Aproveitam-se as folhas, que são deliciosas e através das quais se consegue perceber a frescura do brócolo. E os caules também são deliciosos, tendo apenas que se retirar a fibra exterior, descascando-a assim:

26022019-IMG_5790 26022019-IMG_5792

Estes são alguns cortes genéricos. Se tiverem dúvidas em relação a algum legume específico é só perguntarem.

Agora é só colocar em prática!

Por: Susana Silva